Abrir caixa de comentários

VIII Reunião da Rede Nacional de Administração Aberta

VIII Reunião da Rede Nacional de Administração Aberta

21/02/2020

 

 

Mantendo sua regularidade de trabalho colaborativo, a Rede Nacional de Administração Aberta realizou, no passado dia 21 de fevereiro de 2020, a sua VIII Reunião. Estiveram presentes representantes da AMA - Agência para a Modernização Administrativa, da Área de Governo da Presidência, da Associação Nacional de Jovens Empresários, da Autoridade Tributária, da Plataforma de Associações da Sociedade Civil – Casa da Cidadania, do Provedor de Justiça e da Transparência e Integridade. A reunião contou ainda com a presença de elementos do Gabinete da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública e do Gabinete da Secretária de Estado da Inovação e da Modernização Administrativa.

 

Esta reunião apostou na adoção de um modelo colaborativo para potenciar a participação dos membros e para intensificar o diálogo. Pela primeira vez, abriu-se um canal de participação remota que permitiu que participantes pudessem contribuir para a reunião, superando a sua impossibilidade de estar fisicamente presentes. Para além da habitual realização do ponto de situação relativamente aos compromissos que apresentaram progressos desde a VII Reunião, designadamente o Compromisso #3 e o Compromisso #7, também se realizaram atividades que convidaram a uma colaboração e participação proativas de todos os membros presentes, digital ou presencialmente. Depois destes últimos progressos, a taxa de execução do I Plano de Ação encontra-se nos 57%.

Assim, contanto com os contributos de todos, no âmbito da, realizou-se a cocriação de propostas de atividades para a Semana da Administração Aberta de 2020

Seguiu-se um trabalho de reflexão coletiva sobre a composição da Rede, a partir de um modelo de mapeamento de  entidades relevantes para missão da Rede. 

Por fim, os membros da Rede presentes deram os seus primeiros contributos para definir a estratégia de desenvolvimento e cocriação do II Plano de Ação Nacional, partindo das recomendações do Mecanismo Independente de Avaliação (IRM) e da experiência acumulada durante o processo de co-criação e consulta aplicado no I Plano Ação.